DESACATO A PM'S EM MACAU


Por volta das 22h25hs de ontem 13.10.13, num patrulhamento de rotina, passando pela Rua Feliciano Teteu em Macau, momento em que passávamos em frente à residência de José Ivan Martins de Oliveira, o qual se encontrava à frente de sua casa, bebendo cerveja, juntamente com seus familiares, bem como com um amigo de nome Raimundo de Oliveira, mais conhecido por "piroca"; o qual, quando bebe fica valente e dá uma de doido, tendo, inclusive bagunçado no último campeonato de futebol de Macau, a ponto de querer bater no juiz, de forma que a polícia teve de contê-lo, usando a força necessária.
Pois bem, o tal de "piroca", quando a minha guarnição passou, ele gritou em alto e bom som (me perdoem a expressão vulgar) "vão se fuder". Mandei o motorista dar ré, descemos da viatura e indagamos quem havia desacatado a polícia, com tais palavras de baixo calão. Cinicamente, negaram, e "piroca" se evadiu do local, voltando minutos depois, também negando descaradamente. Como tínhamos certeza de que havia sido ele, bem como, a vizinhança confirmou, eu simplesmente dei-lhe uma voadora nos peitos, e o alertei: "respeite a polícia, seu canalha, que nós estamos trabalhando para salva e guardar toda a cidade; não somos palhaços não, pra você tomar suas cachaças e querer nos desmoralizar". Depois mandei que desligassem o som e acabassem com a farra, que os vizinhos estavam reclamando.
Continue o patrulhamento e parei na sede da Cia para beber uma água, momento em que fui informado de que os cidadãos acima citados foram à Delegacia se queixar do Ten Silva Neto. Fui lá, constatei que José Ivan tinha dado carona a Raimundo "piroca", até a Delegacia, de moto, ambos sem capacetes e visivelmente embriagados. Eu disse: pronto, agora faço questão que os devidos procedimentos legais sejam feitos. O delegado percebeu que as "vítimas" estavam erradas e explicou ao Sr Ivan que ele seria autuado por pilotar veículo em estado de embriaguez e sem fazer uso do capacete; piroca, por sua vez, foi alertado que cometera desacato aos policiais em estrito cumprimento do dever legal. Daí, chegou um advogado e uma vereadora, os quais pediram para desistir da queixa contra a minha guarnição. O Delegado, então, fez um Auto de Desistência, no qual Ivan e Raimundo assinaram, juntamente com duas testemunhas. Como "Seguro morreu de velho e Desconfiado ainda está vivo", solicitei um B.O por desacato, para resguardar minha patrulha. "Porque, quem sai junto, chega junto, e o que der pra um dá pra todos."
Somos policiais com muito orgulho, e honramos nossa farda. Salve a Polícia Militar, da qual eu faço parte; e Louvado seja Deus. Texto: Ten. Silva Neto
Olá amigos leitores, peço que ajudem a compartilhar nas redes socias!

Comunicado do Autor do blog Macau em Fotos

Galera "deixem seu comentário" Nos diga o que achou do assunto!

1 comentários:

  1. "eu simplesmente dei-lhe uma voadora nos peitos, e o alertei: "respeite a polícia". Francamente! e isso é um relato de um oficial, imagine os soldados. Tenente, existe voz de prisão e o estado democrático de direito não permite agressões físicas principalmente por parte de policiais. O ASenho pode ser processado por agressão, independente da condulta de "piroca". Vá estudar tenente!!!

    ResponderExcluir